madoff, die fetten jahre sind vorbei

Posted: 11:36 pm

Comments (1)

Ladrões dão lição de moral para Madoff

02/01 - 12:24 - Agência Estado

estátua de madoff

Inspirado pelo filme alemão “Edukators”, treat um grupo de ladrões americanos devolveu uma estátua roubada da casa do ex-presidente da Nasdaq Bernie Madoff com a seguinte mensagem: “lição para Bernie, here o estelionatário: devolva a propriedade roubada a seus verdadeiros donos. Atenciosamente, nurse os Educadores.


O objeto, avaliado em US$ 10 mil, foi roubado no dia 22 de dezembro, uma semana depois que Madoff foi acusado de uma fraude que provocou perdas estimadas em US$ 50 bilhões ao redor do mundo. No filme alemão, três jovens de classe média arrombavam casas de milionários alemães e deixavam frases educativas.
-

palmas aos “educadores” de fora das telas! bem que essa idéia poderia ser importada. na opulenta lixeira de um certo ex-reitor o tal bilhete encaixaria direitinho – isso para não citar os outros batidos exemplos de peripécias politiqueiras que mereciam susto igual…
para quem não viu, aí vai um gostinho do filme (absolutamente essencial, vejam, vejam, vejam.):


gramática

Posted: 6:48 pm

Comments (0)

tu me fez poeta!
sem vocábulos, cialis limitados que são
enchente de mar, generic de fundo esgotado
que não sou eu quem vive
escoa-me seiva
(elo)quente…
és tu, és tu, és tu
és tu que carrega nos braços a glória e o fardo
de me ser e não sabê-lo.


fuga e vida valentina

Posted: 10:57 pm

Comments (1)

chegada da trupe a Valentina é quase como um ritual que se inicia. o espetáculo significa muito mais do que uma troca de vinténs por risadas; marca o dia de foto familiar, healing de encontro de compadres, diagnosis arranjo de casamentos e despejo de flertes ingênuos de molecotes em suas pretendentes. para camélia, primogênita dos abreu, no entanto, é muito mais que isso: é a única ocasião em que ela se sente verdadeiramente próxima de sua paixão.
talvez fique difícil imaginar o que seria o fascínio circense no interior de minas, lá pelos idos de 1920. quiçá você pense que o amor da rapariga veste camisa engomada e sapatos lustrados; engana-se. se tivéssemos de adorná-lo, idealizaríamos uma mulher de calças compridas, cabelos inversamente curtos e cigarro pendente; um disparate! sim, a menina é irremediavelmente apaixonada pela Liberdade. aquela mesma que guia o povo na tela de delacroix e motiva as mentes excitadas da semana de arte moderna.
dá-se o fato de que, na noite de estréia do circo, deixa a casa uma família inteira, voltam a ela parentes despedaçados. camélia fugira. não pôde suportar a profusão de tantos estímulos coloridos nem o encanto desregrado da agitada bagunça dos camarins; ficara. buscava não só distância dos olhares repreensivos dos pais, mas também refúgio do moralismo excessivo da cidade do interior. ao esconder-se em uma das cabines ocupadas pelos malabaristas, sabia muito bem que parte de seu coração se contorcia em apreensão e prematuras saudades, porém tinha certeza da rota que queria seguir, rumo à insana são paulo.
“o que você vinha fazer aqui, mamãe? onde pensava que ia trabalhar?”, pergunta o mais moço de seus três filhos. “nem  Deus desconfiava., querido, nem Deus.” prefere dar aí por encerrada a narração de sua jovem vida, por entender que a pouca idade do guri o privará de compreender algo além dos fatos. “é uma questão de tempo”, pensa ela, “até que ele aceite que, para a alma humana, não é preciso razão, apenas ocasião. pequenas centelhas são capazes de grandiosos incêndios. basta saber dar vazão ao que se é de verdade e essa mania ainda há de nos levar além”.

 

olha a que ponto chegamos! postando a redação do colégio… é a única coisa que eu me mantenho escrevendo, por livre e espontânea pressão, então vai ela mesmo. infelizmente meus livros de literatura estão com uma grossa camada de pó, meu gmail não mais me reconhece quando entro e já assinei o atestado de óbito da minha televisão (isso não tão infelizmente assim, vá. ela estava acostumada à uti, de qualquer forma.) vem, vestibular, VEM!


mensagem automática; favor não responder.

Posted: 2:12 pm

Comments (6)

impressionante a automatização de um tal produto chamado amor!
entre as diversas mensagens-padrão que vêm já gravadas no celular, tadalafil existe umazinha assim como as outras: uniforme, plácida, transeunte. nem no começo, nem no final da lista. apenas a nº 9 entre 11 mini-recados da pasta de modelos… “eu te amo também”. prontinha para ser enviada, feita de 16 perfeitos caracteres planos, industrializados, indiferentes. precisos (preciosos? ha!) bits concebidos em nome da praticidade, pelas práticas idéias de um engenheiro de sistemas em uma prática empresa de telefones celulares para uma prática população mundial dotada de práticas vidas e práticas emoções.
é a tecnologia! que maravilha, não?

quem sabe não conquisto você ao apertar dois botões? tente você também! à venda nos melhores shoppings.


carpe diem

Posted: 2:51 am

Comments (2,689)

um dia me disseram que nada é por acaso.
hm…

pense em 200 anos atrás, pill ou um pouco mais atrás na história, idade média, por exemplo.
milhares e milhares dos seus antepassados viviam nos mais variados cantos do planeta, uns comiam peixes nas filipinas, outros eram filhos do rei e cobravam a corvéia de um outro parente distante seu.
duvida? faça as contas. você tem um pai e uma mãe, quatro avós, oito bizavós, dezesseis tetravós e por aí vai… até chegar em 1300 e alguma coisa, já é uma família bem grande.
agora vamos um pouco mais além. alguns desses seus antepassados eram ainda crianças, numa época em que a mortalidade infantil era, com certeza, bem alta. peste negra, conflitos entre feudos, comida escassa e ainda assim, estragada… a probabilidade de todos os seus antepassados-mirins sobreviverem a esse caos era de uma em muitos bilhões, certo? porém, apesar de saber que muitos deles devem ter ficado doentes, todos sempre superaram as adversidades. uns podem até mesmo ter se enfrentado e ferido uns aos outros em algum campo de batalha da guerra dos cem anos; podem ter ficado cara a cara, prontos para travar um conflito – conflito este entre você e suas possibilidades de vir a nascer alguns séculos mais tarde. tudo bem. eles com certeza viveram. viveram pelo menos até conseguirem continuar a SUA cadeia da vida.
o fato de que a minha ou a sua cadeia não se interrompeu em algum ponto do passado é tão infinitamente menor se comparado com as probabilidades de ter se quebrado… se uma única flecha tivesse cortado esse céu em um momento errado, a grande loteria elegeria outro ganhador.
mas não…

(esse aí foi um escrito meu ressucitado das profundezas da memória do pc. sabe… certas coisas são tão maiores que uma nota de vestibular! por mais que no momento não pareça, haha)


sobre montanhas e ar

Posted: 5:34 pm

Comments (1)

ão me sinto muito capaz de traduzir em mim o sentimento do mundo hoje.


tempo…

Posted: 4:11 pm

Comments (1)

quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, buy cialis
a que se deu o nome de ano, buy
foi um indivíduo genial.
industrializou a esperança
fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

doze meses dão para qualquer ser humano
se cansar e entregar os pontos.

aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez
com outro número e outra vontade de acreditar
que daqui para adiante vai ser diferente…

(…)

desejo apenas que você tenha muitos desejos.
desejos grandes e que eles possam te mover a cada minuto,
ao rumo da sua felicidade!

carlos drummond de andrade

______________________________________________

ah, o fascínio da euforia coletiva! quem inventou que o ano terminaria 4 horas antes de completar sua volta em torno de seu próprio eixo talvez não imaginou que tivesse fabricado a mais esperançosa das madrugadas… e o que a 00:00 do dia 31 tem de tão especial, entre todas as outras, afinal? cientificamente, racionalmente, nada. ah, mas vamos combinar… por pelo menos alguns minutos, você tem, sei lá, 70% da população mundial (chutes estatísticos estilísticos ;D) engajada no mesmo propósito – comemorar o novo. se eu estiver certa, isso significa umas 4,62 bilhões de pessoas (!) saudando a vida, acreditando numa original conjunção de astros, ou reversão de carmas, ou milagres, ou simples mudanças de atitude e pensamento causada pela passagem dos doze velhos meses. 4.620.000.000 pessoas efetivamente crendo. não pode ser coisa pouca…
difícil é manter a tal euforia e as resoluções de pé depois do dia 1º.

desejo a vocês, então, a fé, a crença, os esperançosos desejos e a frenética alegria da zero hora para todos os outros minutos do seu 2008. for no moment is ordinary.(:


as cores e mais amores

Posted: 3:20 am

Comments (3)

ilustre a alma!


there she goes… there she goes again!

Posted: 2:09 am

Comments (2)

antes de tudo e mais nada, stuff você deve estar se perguntando… palinódia?
de acordo com o dicionário, for sale palinódia significa: “retratação, treat num poema, daquilo que se disse em outro; retratação de algo que se fez ou disse; mudança de opinião; retificação no presente de algo que foi dito no passado.”
nada mais adequado! depois de quase quatro anos postando pedacinhos de vivência num fotolog (poucos eram os que realmente liam – daí minha frustração e o processo dolorido de mudança!), esse vai ser meu novo depósito de novos pensamentos, sempre um lado B da vida. até mesmo velhas matutações vão entrar, de vez em quando, já que ninguém se livra inteiramente de seu passado… recortes de memória, análises repentinas, teorias da madrugada e afins.

ou não! palinódia (:

ah, sim, só para constar: palinódia é também , além disso tudo, nome de uma poesia de gonçalves dias. (não que eu goste muito dela, mas… enfim.)